úlceras no estômago

Entenda os perigos das úlceras no estômago e no duodeno

A úlcera é uma doença do trato gastrointestinal, caracterizada pelo desequilíbrio na produção de muco que protege o estômago e o duodeno e de ácido gástrico no organismo. Esse aumento de acidez faz com que haja uma corrosão das mucosas que revestem o estômago e o duodeno.

Geralmente, os sintomas de úlceras no estômago e duodeno incluem dor de estômago (ou na boca do estômago), perda de apetite e enjoo logo após as refeições. Ainda, é comum sentir dores durante o sono. Nos casos mais graves, o paciente apresenta sangramento e fezes escuras com mau cheiro.

Muitas vezes, a pessoa procura por ajuda médica quando a doença já está em um nível avançado.

O que causa a úlcera?

A úlcera pode ser desenvolvida por questões genéticas. Porém, algumas outras causas estão associadas ao seu surgimento:

  • infecção causada pela bactéria Helicobacter pylori: este é o motivo da maioria dos casos de úlcera, principalmente as duodenais;
  • uso abusivo de medicamentos tóxicos ao trato gastrointestinal, ou seja, remédios anti-inflamatórios não esteroidais, como ibuprofeno, nimesulida e ácido acetilsalicílico. Quando usados de forma indiscriminada, os pacientes acabam se expondo ao risco de desenvolverem úlceras.
  • consumo excessivo de alimentos com cafeína.
  • tabagismo
  • etilismo

Qual o perigo das úlceras no estômago e no duodeno?

Os maiores riscos de quem desenvolve úlceras no estômago e no duodeno são a perfuração dos órgãos atingidos ou a morte por perda excessiva de sangue. Além disso, a doença também pode causar anemia. Devido à gravidade das complicações, ao sentir qualquer tipo de desconforto estomacal é preciso ir ao médico.

O diagnóstico da doença é feito por meio da endoscopia digestiva e o tratamento varia de acordo com a gravidade e condições do paciente. Geralmente, a pessoa deve tomar antiácidos e analgésicos. Caso a causa tenha sido a bactéria, é necessário combater a infecção com o uso de antibióticos.

A cirurgia pode ser indicada quando:

  • o paciente apresenta complicações graves causadas por hemorragia;
  • o paciente não pode fazer uso da medicação prevista;
  • o paciente não pode abrir mão dos medicamentos anti-inflamatórios não esteroidais;
  • há estenose e obstrução, ou seja, o bolo alimentar não consegue passar para o intestino delgado;
  • em casos de úlceras perfuradas.

Em algumas situações, como nas úlceras perfuradas, são indicadas a gastrectomia ou a cirurgia por laparoscopia, devido à rapidez de cicatrização. Por meio de uma pequena incisão, é possível identificar e fechar a lesão.

É importante lembrar que muitos indivíduos apresentam dores estomacais que passam com o tempo. O perigo de ignorar esses sintomas é causar uma complicação da doença. Por isso, sempre que estiver sentindo desconforto no estômago, marque uma consulta com um gastroenterologista.

Como é possível evitar as úlceras?

Alguns fatores de risco são o álcool, o cigarro, cafeína, alimentos picantes e o estresse. Logo, ter um estilo de vida saudável ajuda a evitar o desenvolvimento da doença. Ainda assim, só a alimentação não garante que o indivíduo não desenvolverá úlceras no estômago e no duodeno, especialmente quando há casos antecedentes na família. O ideal, portanto, é visitar o médico regularmente.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como cirurgião do aparelho digestivo em Ilha Solteira e Barretos!

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp