cirurgia videolaparoscópica

Tudo o que você precisa saber sobre a cirurgia videolaparoscópica

A cirurgia videolaparoscópica é uma técnica minimamente invasiva que permite o acesso aos órgãos internos, a partir de pequenos cortes. Nesse procedimento utilizamos uma microcâmera ligada a um equipamento. Assim conseguimos ter uma visão mais ampla, profunda e detalhada da pélvica e cavidade abdominal. Esse modelo de operação cumpre o objetivo de observar as estruturas existentes nessas regiões, a fim de remover ou corrigir as alterações. Nas mulheres essa técnica, normalmente, é usada para diagnosticar e tratar a endrometriose. Contudo esse não é o único exame, visto que o diagnóstico também pode ser obtido por outros testes como ressonância magnética e ultrassonografia transvaginal. Quer saber mais? Continue lendo e fique por dentro!

Para que serve a cirurgia videolaparoscópica?

Como ressaltamos, essa operação pode ser utilizada tanto no diagnóstico quanto no tratamento. Então, frequentemente, no primeiro caso, a utilizamos para investigar tumor abdominal, gravidez ectópica, endometriose, doenças ginecológicas, biópsia ovariana, dor abdominal crônica sem causa aparente; problemas na vesícula e no apêndice, síndrome aderencial, doença peritoneal. Agora, no que tange ao tratamento, a prática é indicada para histerectomia total, retirada de aderências, tratamento de hidrossalpingite, correção de hérnia, cirurgia ginecológica, retirada de lesões ovariana, tratamento de distopias genitais, laqueadura das trompas, retirada de mioma, retirada da vesícula e do apêndice.

Como o procedimento é realizado?

Embora a cirurgia videolaparoscópica seja um procedimento minimamente invasivo, a operação é realizada sob anestesia geral, uma vez que realizamos um pequeno corte na área próxima do umbigo. Ou seja, local por onde introduzimos um tubo com a microcâmera. Além dessa abertura, ainda realizamos pequenas incisões na parte abdominal para passarmos outros pequenos instrumentos, que fazem a exploração das regiões abdominal e pélvica. No caso, a microcâmera é usada no intuito de avaliarmos e monitorarmos todo o interior da área abdominal.

Quais são os cuidados necessários durante a recuperação?

Em comparação com a cirurgia convencional, esse modelo de operação é melhor porque cortamos menos e o sangramento também é mínimo. Então, o prazo de recuperação é curto, entre 7 e 30 dias. Dependendo do tipo de tratamento aplicado. Isso permite que o paciente retome as suas atividades gradativamente, desde que as recomendações médicas sejam seguidas. Destacamos que depois da intervenção cirúrgica é habitual que o paciente se sinta enjoado, inchado e com vontade de vomitar. Também é normal a sensação de intestino preso e as dores no abdômen e nos ombros. Por isso recomendamos descanso absoluto durante esse período. Ou seja, os pacientes devem evitar esforços como atividades físicas, dirigir, arrumar a casa, subir e descer escadas, relações sexuais, entre outros, por pelo menos 30 dias. Nesse momento indicamos apenas alterar o descanso com caminhadas leves e curtas, uma vez que elas ajudam a eliminar os gases que ficam acumulados na parte abdominal. Além disso, essa prática é excelente para melhorar a circulação sanguínea e garantir o bom funcionamento dos tecidos que foram afetados durante a operação. De modo geral, a cirurgia videolaparoscópica traz resultados satisfatórios e oferece menos riscos aos pacientes. No entanto por haver necessidade de aderência e extração de tecidos — em alguns casos — o repouso é fundamental durante o processo de cicatrização. Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como cirurgião do aparelho digestivo em Ilha Solteira e Barretos!

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp