doenças gastrointestinais

7 sintomas de doenças gastrointestinais

7 sintomas de doenças gastrointestinais

As doenças gastrointestinais são as enfermidades que afetam os órgãos do sistema digestivo, incluindo esôfago, estômago, intestino grosso, intestino delgado, reto, cólon e anus, bem como os chamados órgãos anexos que participam do processo de digestão. É o caso do pâncreas, fígado e vesícula biliar.

Os distúrbios gastrointestinais são bastante comuns e podem ter relação com alterações anatômicas, hábitos alimentares, predisposição genética, obesidade, sedentarismo, entre outros fatores. Estes, então, impactam direta ou indiretamente o sistema digestivo.

As doenças gastrointestinais mais conhecidas são a gastrite, úlcera, refluxo gastroesofágico, cálculos biliares, pancreatite, apendicite, esteatose hepática e síndrome do intestino irritável. Essa categoria de doenças pode apresentar, portanto, variados sintomas.

Confira em seguida as principais manifestações dos distúrbios do aparelho digestivo.

Dores variadas

Boa parte das doenças gastrointestinais pode causar dor no abdômen. Dependendo da doença, a dor pode apresentar localização e intensidade variadas. No caso de cálculos na vesícula, por exemplo, ocorre no quadrante superior direito do abdomen, podendo irradiar para as costas. Não raro, as doenças digestivas provocam dor torácica ou no baixo ventre, com sensação de pontadas ou pressão.

Azia e queimação

Condições como o refluxo gastroesofágico, úlcera e gastrite costumam vir acompanhadas de azia e queimação. Essas sensações atingem o peito e a garganta, aumentando quando a pessoa está deitada. Embora a azia nem sempre esteja ligada a distúrbios gastrointestinais, é importante investigar as causas desse sintoma.

Náuseas e vômitos

Outros sintomas comuns de enfermidades digestivas são as náuseas e vômitos. Em condições como colecistite, apendicite, refluxo, alergias alimentares e úlcera péptica é esperado que o paciente apresente episódios de enjoo, mal-estar e chegue a vomitar, embora não seja uma regra. Cada caso é um caso.

Alterações no trânsito intestinal

Dificilmente alguém com doenças gastrointestinais permanece com o trânsito intestinal normal. Assim, a pessoa pode ter diarreia (aumento da frequência evacuatória e fezes aquosas) ou prisão de ventre (dificuldade para evacuar). Essas mudanças podem resultar em ganho ou perda de peso, desidratação, entre outras consequências.

Inchaço e empachamento

Fique alerta a sinais como acúmulo de gases, distensão abdominal, indigestão, saciedade precoce e sensação de empachamento, mesmo após ingerir pequenas porções. Esses também são sintomas tradicionais de doenças do sistema digestivo.

Mau hálito

O mau hálito, tecnicamente chamado de halitose, pode ser causado por má higiene oral, desidratação ou ingestão de alimentos com cheiro forte. O que muita gente não sabe é que também pode ser um indício de doenças gastrointestinais, como refluxo ou tumores no sistema digestivo.

Soluços

Os soluços são espasmos involuntários e repetidos, no diafragma. Podem não ter nenhum caráter patológico, mas, em alguns casos, são indícios de doenças gastrointestinais.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como cirurgião do aparelho digestivo em Ilha Solteira e Barretos!

Posted by Dr. Rodrigo Gui Queiroz in Todos
5 principais exames para o diagnóstico de doenças gastrointestinais

5 principais exames para o diagnóstico de doenças gastrointestinais

Os problemas envolvendo o trato gastrointestinal podem ser variados, indo do refluxo a uma constipação. Eles também se diferem em termos de duração de tempo da doença e da gravidade da condição. Atualmente, a medicina conta com diversos exames nessa área que garantem um diagnóstico mais preciso e um processo de recuperação mais eficiente para os pacientes que têm doenças gastrointestinais.

A seguir, selecionamos alguns dos principais. Continue a leitura e fique por dentro do assunto!

Exames para diagnosticar doenças gastrointestinais

1. Endoscopia digestiva alta

Tem como finalidade avaliar a situação das mucosas dos vários órgãos dos aparelhos digestivos, como o esôfago, o duodeno e o estômago. A endoscopia digestiva alta é feita por meio de um tubo flexível que permite ao médico visualizar o interior do corpo em um monitor. Esse procedimento é muito importante para o diagnóstico de doenças como úlceras, gastrites e hérnias.

2. Ecoendoscopia

A ecoendoscopia, também chamada ultrassom endoscópico, une elementos da endoscopia e da ultrassonografia em um procedimento.

O ecoendoscópio pode ser inserido no aparelho digestivo por meio da boca do paciente ou pelo ânus, no caso de ser uma ecoendoscopia baixa. Quando o dispositivo chega ao local a ser examinado, o médico consegue obter imagens semelhantes àquelas de um ultrassom, além da visão endoscópica.

É muito usado para avaliar lesões no reto, no duodeno, no estômago e no esôfago. Também é aplicado para o diagnóstico de tumores neuroendócrinos e a punção de linfonodos aumentados.

3. pHmetria do esôfago

A realização desse exame não exige que o paciente seja sedado. É feita uma anestesia tópica em uma das narinas, para que seja possível passar um cateter fino por ela. Esse dispositivo é conectado a um aparelho que registra os dados. O objetivo é medir o refluxo ácido esôfago-faríngeo ou gastresofágico.

A pHmetria é recomendada para uma série de situações, como vômitos ou náuseas frequentes, sintomas que apontem para o refluxo gastroesofágico, dor ou dificuldade ao engolir, dentre outras.

4. Colonoscopia

A colonoscopia permite que toda a extensão do reto e do cólon possa ser analisada por meio de um colonoscópio. Esse aparelho conta com uma câmera na ponta, tecnologia que permite que o médico possa ter uma visão abrangente da região.

Além disso, o colonoscópio também permite que o especialista use instrumentos específicos para remover partes de tecidos — biopsia — de regiões que levantem suspeitas, a exemplo dos pólipos.

5. Manometria esofágica

Tem como objetivo analisar o funcionamento do esôfago, avaliando a atividade muscular das partes funcionais do órgão durante o processo de deglutição e nos momentos de repouso.

Além de ajudar na investigação de distúrbios do sistema esofágico, a manometria auxilia a determinar o local exato do esfíncter inferior (esôfago) para que o eletrodo de pHmetria possa ser colocado corretamente.

Por fim, é importante lembrar que, ao menor sinal de desconforto na região do esôfago, do estômago e do intestino de forma persistente, o médico especialista precisa ser consultado. O profissional fará todos os exames necessários para a real compreensão do que está ocorrendo. Afinal, doenças gastrointestinais, quando não tratadas corretamente, podem ocasionar problemas mais complexos para a saúde, como inflamações crônicas, câncer e falência intestinal.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder os seus comentários sobre esse assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como cirurgião do aparelho digestivo em Ilha Solteira e Barretos!

Posted by Dr. Rodrigo Gui Queiroz in Todos