pedra na vesícula

Pedra na vesícula: causas, sintomas e tratamentos

Você já ouviu falar em colelitíase? Não? E pedra na vesícula? Provavelmente, sim. Apesar dos nomes distintos, ambos os termos se referem a uma condição muito comum, presente em cerca de 30% da população.

Neste post, você irá conhecer um pouco mais sobre as causas, sintomas e tratamentos para esta doença. Então, se tem interesse no assunto, recomendamos a leitura do texto.

Pedra na vesícula: o que é?

A colelitíase é uma condição que se caracteriza pela formação de pequenas pedras no interior da vesícula em função do acúmulo de bilirrubina ou de colesterol. A depender do tamanho, esses cálculos precisam ser tratados.

Ainda, a vesícula biliar é um pequeno órgão, localizado na parte superior do abdômen e que tem forma de pêra. Entre as funções que desempenha, a mais importante é o armazenamento da bile, uma substância amarelada produzida pelo fígado, rica em colesterol, bicarbonato e pigmentos.

Ao ser fabricada pelas células do fígado, a bile é transportada pelos ductos hepáticos até alcançar as vias biliares, onde se une a outras substâncias produzidas pelo pâncreas. Esse suco de enzimas é lançado no duodeno para atuar na digestão das gorduras dos alimentos.

Contudo, como a vesícula biliar não consegue armazenar um grande volume de bile, ela é concentrada ao máximo, tornando-se mais espessa. Quando há um desequilíbrio na sua composição, ela se solidifica, formando as pedras na vesícula.

Quais são as causas?

A colelitíase, ou pedras na vesícula, pode ter origem em uma série de fatores. Entre eles, estão: predisposição genética, obesidade, alimentação rica em carboidratos e gorduras, aumento no nível de estrogênio em mulheres.

Além disso, existem fatores que tornam uma pessoa mais suscetível ao desenvolvimento dessa condição, tais como, ser do sexo feminino, ter idade superior a 40 anos, fazer uso contínuo de anticoncepcionais, sedentarismo, fazer jejum prolongado ou ter diagnóstico de cirrose, hipertensão, tabagismo, diabetes, anemia falciforme ou doença de Crohn.

Quais os sintomas mais comuns de pedra na vesícula?

Na maioria dos casos, as pedras na vesícula não produzem sintomas, podendo permanecer no órgão sem causar desconforto até serem eliminadas na urina e/ou nas fezes. O paciente só costuma apresentar sintomas quando elas aumentam de tamanho.

Isso porque, obstruem a abertura para a saída da vesícula biliar, impedindo que a bile seja eliminada. Assim, quando a vesícula se contrai para liberar a substância, ocasiona um aumento de pressão no seu interior, provocando a cólica biliar.

Ainda, essa dor típica da colelitíase é percebida no lado direito do abdome e costuma ocorrer após as refeições. O desconforto só desaparece quando todos os alimentos passam pelo intestino. Quando não tratada, as pedras na vesícula podem evoluir para uma infecção.

Como é o tratamento?

Quando não causa nenhum tipo de incômodo ao paciente, o tratamento tende a não ser indicado. Nesses casos, o médico recomenda apenas o acompanhamento do quadro. Em situações menos comuns, as pedras crescem e o paciente passa a manifestar os sintomas.

Assim, a cirurgia para retirada das pedras é a principal forma de tratamento. O procedimento é chamado de colecistectomia e também exige a remoção da vesícula biliar, para evitar que o problema volte a ocorrer.

Então, como você pode perceber, a colelitíase é uma doença passível de tratamento, apenas quando o paciente apresentar sintomas. Portanto, caso suspeite da presença de pedras na vesícula, converse com seu médico para ser avaliado.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como cirurgião do aparelho digestivo em Ilha Solteira e Barretos!

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp