pancreatite

Pancreatite: sintomas, causas e tratamentos

Em resumo, a pancreatite é uma inflamação que ocorre no pâncreas, que é uma glândula situada na região posterior do estômago, próximo ao duodeno. Normalmente ela é desencadeada pelo abuso de álcool. Porém, obviamente, outros fatores estão correlacionados. Só para que você entenda melhor, o pâncreas é responsável pela produção de enzimas e hormônios. Ou seja, é ele que produz o suco pancreático com enzimas, que ajuda a quebrar gordura, carboidrato e proteína absorvidos pelo organismo. Além disso, sua missão também inclui o controle de glicose no sangue. Portanto qualquer alteração nessa região provoca um grande desarranjo no nosso corpo. Neste artigo falamos mais a respeito. Leia até o final e fique por dentro!

Quais são os tipos de pancreatite?

Antes de adentramos nos sinais, é fundamental que você compreenda os tipos de pancreatite. Normalmente ela é aguda ou crônica e, em ambos os casos, a situação é grave, uma vez que quadros como esses podem culminar em complicações. A pancreatite aguda, por exemplo, se manifestar gradualmente ou subitamente na parte superior do abdômen e se espalha para o dorso. Nesse caso, o paciente sente dores frequentes e acentuadas durante alguns dias. O problema é agravado, na maioria dos casos após às refeições, por isso é uma condição que implica atenção médica imediata. Em se tratando da crônica, a inflamação não apresenta melhora, tampouco cura. Ao contrário, as lesões se tornam permanentes e pioram com o passar do tempo. Normalmente os homens, entre 30 e 40 anos, são os mais afetados.

Quais são os sintomas?

A pancreatite aguda se manifesta a partir de febre, náuseas, vômitos, pulso acelerado, abdômen sensível e distendido. Nos casos mais graves, os pacientes ainda apresentam pressão baixa e desidratação. Dependendo do caso, os pulmões, os rins e o coração podem falhar. Ou seja, isso aumenta o risco de morte, principalmente, se houver hemorragia no pâncreas. Os indícios de uma inflamação crônica incluem diarreia, fezes gordurosas, náuseas, vômito e perda de peso. Nessa situação o emagrecimento ocorre porque as enzimas pancreáticas não são secretadas suficientemente para digerir os alimentos.

Quais são as possíveis causas?

Além do abuso de álcool, outros motivos contribuem nesse tipo de inflamação. Nesse caso destacamos algumas condições autoimune, desordens de cunho hereditário, determinados medicamentos, quantidade elevada de gordura e cálcio no sangue, fibrose cística, tabagismo, cálculos biliares, lesão no abdômen, cirurgia abdominal, câncer no pâncreas.

Como devemos tratar o problema?

A inflamação aguda, depois de diagnosticada, é tratada com soro intravenoso, medicamentos específicos e antibióticos, ou seja, é uma terapia que implica internação. Nesse momento a pessoa não pode ingerir nenhum alimento, seja ele sólido ou líquido, pois o pâncreas precisa descansar por alguns dias. Agora, o recurso terapêutico da crônica envolve tratamento da dor, além de suporte nutricional e hidratação. Como o paciente perde muito peso, o uso de sonda nasoenteral é feito por alguns dias ou mesmo algumas semanas, dependendo do quadro. Mas independentemente do tipo, recomendamos que os pacientes com pancreatite adquiram hábitos saudáveis e evitem o tabagismo e álcool. Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como cirurgião do aparelho digestivo em Ilha Solteira e Barretos!

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp