Obesidade

Impactos da obesidade no desenvolvimento de doenças

A preocupação com o excesso de peso, na maioria das vezes, está associada a questões estéticas. As pessoas têm tentado melhorar a qualidade da alimentação e praticar atividades físicas, mesmo em meio à rotina agitada, para se sentirem em paz com a balança. Não há problema nenhum nisso, mas é fundamental entender que a questão é mais ampla: a obesidade traz consigo diversas doenças graves, por isso, combatê-la é, antes de mais nada, uma questão de saúde.

Como se identifica a obesidade?

Estar simplesmente acima do peso ou com acúmulo de gordura localizada em algumas regiões do corpo não significa que um indivíduo sofre de obesidade. O diagnóstico da doença tem como base o Índice de Massa Corpórea (IMC), cálculo que divide o peso da pessoa (em quilos) pela altura elevada ao quadrado (em metros).

De acordo com a Organização Mundial da Saúde, considera-se sobrepeso o indivíduo cujo resultado do IMC seja igual ou maior que 25. Quando o número chega ou ultrapassa os 30, trata-se de obesidade  e acima de 40 obesidade mórbida.

Obesidade e concentração de gordura no fígado

Pessoas obesas ou até mesmo com sobrepeso são mais propensas a acumularem gordura no fígado, condição conhecida como esteatose hepática. Ao longo do tempo, essa gordura desencadeia um processo inflamatório no órgão, podendo levar até à cirrose.

Doenças cardiovasculares

A hipertensão arterial é uma das principais doenças relacionadas ao excesso de peso. O acúmulo de gordura no organismo induz o coração a maior esforço  e isso eleva a pressão. Além disso, com o excesso de peso, também há um aumento nos níveis de LDL (o famoso “colesterol ruim”) e de triglicerídeos, condição que aumenta as chances de infarto ou acidente vascular cerebral (AVC).

Apneia do sono

O excesso de peso, especialmente na região do abdômen, do tronco e do pescoço, ajuda a obstruir a passagem de ar, por isso, é uma das causas da apneia do sono, distúrbio em que a pessoa para de respirar por alguns períodos durante a noite.

Obesidade também é uma doença

Durante muito tempo, a condição obesa era atrelada apenas aos hábitos de vida. Assim, o senso comum dizia que o que faltava a uma pessoa com esse quadro era “força de vontade” para mudar e, assim, conseguir emagrecer. No entanto, hoje em dia, com os avanços nas pesquisas e na medicina, já se sabe que esse quadro não apenas provoca doenças, ele, em si, é uma doença.

Embora os hábitos de vida tenham uma boa parcela de culpa nessa condição, existem muitos fatores envolvidos na situação, como a genética, o metabolismo, o funcionamento do sistema endócrino e até elementos psicológicos e sociais.

É por isso que o combate à obesidade também exige uma equipe multidisciplinar de profissionais. O paciente precisa ter acompanhamento do cirurgião, mas também de nutricionista, psicólogo, educador físico. Se o indivíduo fizer uma cirurgia bariátrica, por exemplo, precisa estar preparado para as mudanças que virão depois dela, para manter a qualidade de vida e a saúde acima de tudo.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder os seus comentários sobre esse assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como cirurgião do aparelho digestivo em Ilha Solteira e Barretos!

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp