obesidade

Mitos e verdades sobre a obesidade

A obesidade é uma doença que atinge quase 20% da população brasileira. Segundo o Ministério da Saúde, 18,9% dos brasileiros são obesos. Além de prejuízos emocionais e sociais, esse problema está associado a muitos males de saúde.

E não são apenas os adultos que vivem essa preocupante realidade. Segundo dados do governo, cerca de 9% dos adolescentes e jovens de 18 a 24 anos fazem parte dessa estatística, que, inclusive, dobrou em 11 anos.

Por isso, entender melhor sobre as questões relacionadas a esse problema ajuda na prevenção e no tratamento. Este texto aborda os principais mitos e verdades sobre essa enfermidade.

Obesidade e sobrepeso são a mesma coisa

Mito! Apesar de serem duas coisas muito relacionadas, são condições diferentes. Para analisar se uma pessoa está com sobrepeso é preciso verificar o que significa o número na balança fora do ideal para a constituição física dela. 

Medir o percentual de gordura também é essencial para fazer essa avaliação, assim como calcular o Índice de Massa Corporal (IMC). A fórmula é a divisão do peso pelo quadrado da altura (peso / altura²).

Geralmente, considera-se com excesso de peso o indivíduo cujo IMC fica entre 25,0 e 29,9. Acima disso, é considerado obeso, com níveis diferentes, de acordo com o resultado desse cálculo. Mesmo o sobrepeso já é suficiente para o surgimento de condições como hipertensão e diabetes.

Existem níveis diferentes para um indivíduo obeso

Verdade! Depois de ultrapassar as barreiras do sobrepeso, o indivíduo pode ser considerado obeso. Entretanto, somente uma avaliação médica poderá diagnosticar o problema. Existem três níveis diferentes de obesidade.

Grau I

IMC entre 30,0 e 34,9. Nessa situação, é muito importante que haja acompanhamento especializado, para controle do peso e emagrecimento saudável.

Grau II 

IMC entre 35,0 e 39,9, representando um quadro grave, que exige cuidados médicos. A partir desse grau, pessoas com comorbidades têm indicação para a cirurgia bariátrica.

Grau III

IMC acima de 40,00. O indivíduo está enfrentando uma situação ainda mais perigosa para sua saúde, demandando tratamento.

Bariátrica sozinha cura o problema com o peso

Mito! Em primeiro lugar, é preciso esclarecer que a cirurgia bariátrica não cura o indivíduo obeso. Ela promove um caminho a ser percorrido até o peso saudável.

Quando bem indicado, o procedimento tem objetivo de reduzir o volume do estômago do indivíduo que, consequentemente, terá saciedade com menos alimento ingerido. O pré e pós-operatório exigem acompanhamento médico para que a nutrição seja adequada. 

Problemas na balança não têm ligação com câncer

Mito! A Organização Mundial da Saúde (OMS) já associou o excesso de peso corporal a 13 tipos diferentes de câncer, como colorretal, mama, ovário, fígado e outros. Portanto, manter um estilo de vida saudável é uma medida importante de prevenção.

Essa é mais uma prova de que a obesidade vai muito além de questões estéticas. Ela é, na verdade, um quadro de saúde preocupante que pode gerar, além de câncer, problemas do coração, nas articulações e muitos outros.


Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como
cirurgião do aparelho digestivo em Ilha Solteira e Barretos!

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp