IMC

O que é o IMC, como ele é calculado e qual a sua importância?

A obesidade é considerada mundialmente como um problema de saúde pública. Entre os principais recursos utilizados para a classificação do peso corporal está o IMC (Índice de Massa Corporal), indicador reconhecido e utilizado pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

Você já ouviu falar nele? Sabe como funciona o cálculo? Neste post, explicaremos tudo o que você precisa saber a respeito dessa metodologia e também conhecerá a sua importância. Então, se tem interesse no tema, continue a leitura.

O que é o Índice de Massa Corporal?

O IMC é um parâmetro muito utilizado para classificar uma pessoa de acordo com o seu peso e altura. Geralmente, esse índice é utilizado por médicos, fisioterapeutas e educadores físicos para avaliar o estado de saúde dos seus pacientes.

Ademais, o Índice de Massa Corporal também é uma das ferramentas usadas pela OMS para identificar o nível de obesidade de um indivíduo, sendo, inclusive, o principal critério para recomendar ou não a realização da cirurgia bariátrica.

Ainda, o IMC foi criado no século XIX pelo matemático belga Lambert Adolphe Quetelet com o objetivo de eliminar a subjetividade dos diagnósticos, trazendo um novo método estatístico. No entanto, esse cálculo não considera a composição corporal dos indivíduos.

Por isso, é comum que mesmo pessoas consideradas magras apresentem um IMC mais elevado, pois o peso é influenciado pela massa muscular. Outrossim, esse índice não deve ser usado por menores de 18 anos, gestantes ou por quem tenha algum distúrbio alimentar. 

Como o IMC é calculado?

O cálculo do IMC é realizado a partir da seguinte fórmula: peso do paciente dividido pela sua altura ao quadrado. Com o resultado obtido, basta identificar em qual dos valores de referência a pessoa se enquadra. Esses valores são:

  • muito abaixo do peso: IMC variando entre 16 a 16,9 kg/m2;
  • abaixo do peso: IMC igual ou superior a 17 kg/m2, ou, igual ou menor que 18,4 kg/m2;
  • peso normal: IMC variando entre 18,5 a 24,9 kg/m2;
  • acima do peso: IMC igual ou superior a 25 kg/m2, ou, igual ou menor a 29,9kg/m2;
  • obesidade grau I: IMC entre 30 a 34,9kg/m2;
  • obesidade grau II: IMC entre 35 a 40 kg/m2;
  • obesidade grau III (obesidade mórbida): IMC maior que 40 kg/m2.

Saiba como melhorar o seu índice

Quando o resultado obtido não se enquadra no peso normal,  é possível adotar algumas medidas que ajudam a melhorá-lo. Para quem está acima do peso, a mudança na alimentação é a forma mais eficaz de atingir o valor ideal.

Neste sentido, é necessário eliminar o acúmulo de gordura através da prática de atividades físicas e da reeducação alimentar, reduzindo a ingestão de gorduras e açúcares, e aumentando o consumo de fibras e outros nutrientes.

Em contrapartida, quem está abaixo do peso precisa aumentar o seu IMC. Neste caso, a ingestão de alimentos ricos em vitaminas e minerais é uma das formas mais eficientes de ganhar peso. Porém, deve-se evitar o consumo de frituras e gorduras trans.

Por que o IMC é importante?

Além de ser uma metodologia utilizada mundialmente para o diagnóstico de obesidade e de outras patologias, o Índice de Massa Corporal é um importante indicador de saúde. Assim, conhecer o seu IMC pode significar a prevenção de problemas mais graves.

Então, como você pode perceber, o IMC é um dos índices mais reconhecidos no mundo para a avaliação do estado de saúde da população. Portanto, procure utilizar esse cálculo e identificar em qual faixa você se encontra.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como cirurgião do aparelho digestivo em Ilha Solteira e Barretos!

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp