esôfago

Conheça 7 doenças do esôfago

Após a mastigação, quando engolimos a comida, ela é levada ao estômago através de um longo tubo oco chamado esôfago. Embora seja fácil supor que a comida simplesmente “cai” neste tubo graças à gravidade, ele é, na verdade, um órgão complexo que desempenha um papel importante na digestão.

No topo do esôfago existe um músculo chamado esfíncter, que abre e fecha para permitir (ou impedir) que a comida entre no órgão. Uma vez dentro do tubo, a comida é lançada em direção ao estômago através de uma série de contrações musculares. No fundo do esôfago há um segundo esfíncter, que abre e fecha para permitir que o alimento entre no estômago e impedir que alimentos ou ácidos estomacais deixem o estômago.

Por muitas razões, incluindo doenças, lesões e envelhecimento, o tubo pode parar de funcionar adequadamente. Isso pode levar a uma variedade de problemas, incluindo dificuldade para engolir, azia e até lesões pré-cancerígenas ou cancerígenas.

7 doenças do esôfago

1. Acalasia

Ocorre quando o músculo esfíncter localizado na parte inferior do esôfago deixa de funcionar adequadamente, dificultando a passagem de alimentos ou líquidos para o estômago, causando dilatação do esôfago.

2. Doença do refluxo gastroesofágico (DRGE ou refluxo ácido)

Ocorre quando o ácido flui para trás do estômago e para o esôfago inferior. Na DRGE, o esfíncter entre o esôfago e o estômago é enfraquecido, o que permite que a comida e os sucos digestivos no estômago entrem de volta no esôfago. 

Os sintomas podem incluir um gosto azedo ou ácido na boca, azia, dor no peito, dificuldade para engolir ou uma voz rouca. Muitas pessoas experimentam um surto ocasional de azia ou indigestão, mas a DRGE é diagnosticada quando o refluxo ocorre mais de duas vezes por semana. 

Com o tempo, a DRGE pode levar a condições mais graves, como uma úlcera ou estenoses.

3. Esôfago de Barrett

Uma condição que geralmente ocorre em pessoas que tiveram DRGE a longo prazo. Com o tempo, à medida que os ácidos estomacais continuam a fluir para trás, do estômago para o esôfago, eles podem corroer a parede do esôfago e causar alterações nos tecidos. 

Pessoas com esôfago de Barrett têm um risco maior de desenvolver câncer nesta região.

4. Gastroenterite eosinofílica

Uma condição rara que pode ser confundida com uma alergia alimentar devido à sua tendência a causar náusea, vômito, dor abdominal ou diarréia. Pessoas com gastroenterite eosinofílica têm um alto nível de eosinófilos, um tipo de glóbulo branco, no trato gastrointestinal e na corrente sanguínea. Às vezes, a condição é localizada no esôfago (esofagite eosinofílica) ou no cólon (colite eosinofílica).

5. Câncer de esôfago

Câncer que ocorre nesta região, geralmente nas células que revestem a parede interna.

6. Distúrbios da deglutição e distúrbios da motilidade

As pessoas que frequentemente engasgam, sufocam ou têm problemas para engolir precisam de cuidados especializados de médicos que possam diagnosticar a causa raiz e prescrever um plano de tratamento eficaz. 

7. Doença de Crohn

O esôfago pode ser afetado pela doença de Crohn, embora seja muito raro e estimado em menos de 1% dos pacientes. Os sintomas da doença de Crohn podem incluir problemas de deglutição ou deglutição dolorosa e azia. Se houver suspeita de doença de Crohn, uma endoscopia alta pode revelar úlceras, fístulas ou estenoses no esôfago. O tratamento da doença de Crohn pode incluir medicação, dilatação esofágica, nutrição enteral e cirurgia.

Outras doenças e condições do incluem:

  • Anel esofágico (anel de Schatzki);
  • Úlcera esofágica;
  • Varizes;
  • Esofagite;
  • Azia;
  • Síndrome de Mallory-Weiss;
  • Síndrome de Plummer-Vinson.

Diagnóstico

Exames que podem ser usados ​​para diagnosticar estas doenças incluem estudo radiográfico com ingestão de bário, que é quando são feitas radiografias após a ingestão de solução de bário; e a endoscopia digestiva alta – quando um tubo com uma câmera e uma luz no final é passado pela boca e no esôfago – e monitoramento do pH. O pH  é medido com um instrumento especial.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como cirurgião do aparelho digestivo em Ilha Solteira e Barretos!

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp