esofagite

Esofagite: sintomas, causas e tratamentos

O esôfago é o tubo que comunica a faringe com o estômago. Quando acontece uma inflamação nessa região, denomina-se esofagite. 

São quatro tipos, sendo cada um ocasionado por uma causa diferente. São elas: esofagite de refluxo, de eosinófilos, em decorrência de medicamentos e a infecciosa. 

Quais os sintomas?

Dores no peito geralmente são associadas a problemas cardíacos. Porém, quem sofre de esofagite sente um incômodo intenso nessa região. 

Independente do tipo, os sintomas desse problema são semelhantes, sendo os mais comuns: refluxo gastroesofágico, dores na hora de engolir, sensação de queimação e azia, gosto amargo na boca, mau hálito, dor de garganta, tosse, náuseas e vômitos, perda de apetite.

Causas da esofagite

Cada tipo de esofagite tem a sua causa particular, embora cada uma desenvolva um desconforto semelhante.

A esofagite de refluxo é o caso mais comum. Ela acontece pelo mau funcionamento de uma estrutura parecida como uma válvula, localizada entre o estômago e o esôfago, e que impede os ácidos estomacais de voltarem nesta região. 

Quando essa estrutura está irregular, os ácidos tendem a voltar frequentemente. Neste caso, o paciente é diagnosticado com “refluxo gastroesofágico”, pois a mucosa do órgão se torna lesionada pela ação ácida.

A esofagite de eosinófilos está intimamente ligada às reações alérgicas. Quando isso ocorre, as células eosinófilas, responsáveis pela defesa no organismo, acabam se concentrando no esôfago para combater o agente alérgico, ocasionando, dessa forma,  a esofagite.

A esofagite em decorrência de medicamentos acontece pela presença prolongada de medicamentos no esôfago, local que acaba tendo a sua mucosa progressivamente prejudicada. Nesse caso, recomenda-se preventivamente a ingestão de medicamentos com água, já que o líquido auxilia a passagem do remédio até o estômago.

Embora seja a mais rara, a causa infecciosa surge em pessoas com o sistema imunológico enfraquecido, comumente em idosos e portadores do vírus do HIV. Essa infecção é possibilitada pelo aparecimento de vírus, fungos ou bactérias nas regiões esofágicas e também na boca. 

Outros fatores também podem auxiliar na complicação dessas causas, como a hérnia de hiato, gravidez, cigarros, obesidade e alergia por herança genética.

Tratamentos

A esofagite é uma doença curável, mas o tratamento deve se adequar conforme a sua causa específica.

Para tratar a esofagite de refluxo é preciso que a “válvula” tenha seu funcionamento regulado. Para isso, existe duas possibilidades de tratamento: medicamentos via oral e cirurgia. 

Esses métodos têm como intuito cessar a produção do ácido estomacal, deixando a válvula livre para sua recuperação e consequente funcionamento. Contudo, a cirurgia é indicada em casos mais graves.

Na causa eosinófila, o médico identifica quais sãos os elementos que causam reação alérgica no paciente, por isso é importante saber quais são suas predisposições. A partir disso, será delineado uma dieta livre de alimentos que contribuam para o aparecimento dessa causa, além de medicamentos.

No caso da esofagite decorrente por medicamentos é recomendado que o paciente os engula sempre com água, pois a seco existe a possibilidade da pílula ficar parada no esôfago. Pode ser optado também uso oral com versão líquida.

Por sua vez, quando o médico detecta se foi vírus, bactéria ou fungo que ocasionou a esofagite infecciosa, é feita a prescrição de medicação específica para cada agente, levando sempre em conta a situação de vulnerabilidade do paciente.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como cirurgião do aparelho digestivo em Ilha Solteira e Barretos!

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp