endoscopia

Como é realizado o exame de endoscopia?

Aproximadamente 30% da população sofre de refluxo gastroesofágico, somados a outros problemas do trato digestivo esse número é ainda maior. É visando oferecer um diagnóstico destes problemas que os médicos podem solicitar a realização de uma endoscopia.

Através deste exame é possível observar com detalhes as cavidades do trato digestivo superior, da qual fazem parte o esôfago, o estômago e o duodeno, que é a parte superior do intestino delgado. 

Por meio do exame também é possível retirar pequenas amostras de tecido para serem examinadas (biópsia), retirar pólipos ou introduzir sondas em pacientes impossibilidades de se alimentar normalmente.

Quando o exame é indicado?

Para a maioria dos problemas do trato digestivo superior: gastrites, esofagites, duodenites, úlceras, tumores, etc. Sintomas desses problemas podem ser: falta de apetite, refluxo, azia, dor de barriga, enjoo, dificuldade para comer, vômito, perda de peso, fezes negras, sensação de inchaço, entre outros.

Quais devem ser os preparativos para a realização da endoscopia?

O paciente deve estar de jejum por oito horas e sem água por quatro horas, além disso é recomendável que no dia anterior a alimentação seja leve, evitando comidas muito gordurosas. 

Essas precauções são necessárias para que o estômago esteja absolutamente vazio para facilitar a visualização dos órgãos e da mucosa. 

Medicamentos que alteram a acidez do estômago, assim como anticoagulantes e antiácidos devem ser evitados nos dias anteriores pois podem distorcer os resultados do exame. 

Também é necessário que o paciente receba um sedativo para evitar náuseas e reflexos que possam causar transtornos durante e após o exame. 

Em razão destes sedativos é altamente recomendável que o paciente esteja acompanhado, pois estará com os movimentos comprometidos ao fim do exame e poderá estar sob os efeitos da sedação por até oito horas após o exame. Também é comum que ocorram falhas de memória e o paciente não se lembre com detalhes do exame.

Há contraindicações?

Como o procedimento envolve o uso de sedativo, são necessários cuidados extras para a realização em pacientes com doenças cardíacas, obesos mórbidos, grávidas, alérgicos a determinadas medicações e indivíduos com problemas neurológicos. 

O ideal é transmitir com detalhes e antecedência o histórico médico ao profissional que realizará o exame que poderá tomar as precauções devidas.

Como é feito o procedimento?

Para o exame é utilizado um instrumento chamado de endoscópio que consiste em um tubo fino, entre 0,5 e 1,5 cm de diâmetro, longo e flexível com uma lanterna e uma microcâmera acopladas na ponta. Ele transmitirá a uma tela imagens das cavidades internas do corpo do paciente.

Após a aplicação do sedativo o tubo é inserido pela garganta e levado até a área que precisa ser examinada, introduzindo ar para dilatar os tecidos e melhorar a visualização, retirando-o após o procedimento para evitar desconforto. 

As imagens são transmitidas em tempo real, então é possível ter um diagnóstico tão logo a endoscopia acabe para a maioria dos problemas observados, com exceção para aqueles que serão investigados por meio da biópsia e que necessitam de um exame laboratorial posterior.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como cirurgião do aparelho digestivo em Ilha Solteira e Barretos!

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp