doença de crohn

Doença de Crohn: causas, sintomas e tratamentos

Você já ouviu falar sobre a doença de Crohn? Essa condição inflamatória pode acometer desde o intestino até a boca da pessoa. No Brasil, são registrados cerca de 150 mil casos por ano.

Antes de mais nada, um fato interessante é que essa doença tende a ocorrer mais frequentemente no cólon e no intestino delgado.

Em alguns indivíduos portadores, os incômodos são leves e de gestão relativamente prática. Porém, há os casos em que a síndrome causa na pessoa um estado muito debilitado.

Nos próximos parágrafos, vamos entender mais sobre essa condição. Acompanhe e saiba mais!

O que causa o surgimento da doença?

Infelizmente, a ciência ainda não conseguiu chegar em conclusões mais certeiras sobre as causas por trás da doença de Crohn. Por outro lado, existem alguns estudos que sugerem que alguns fatores podem ter alguma participação na ocorrência da condição, entre eles:

  • A genética do indivíduo.
  • O ambiente onde vive.
  • O estado do sistema imunológico.

Além disso, existem pesquisas que seguem a linha da possibilidade hereditária. Isso, porque, foi verificado que cerca de 20% das pessoas com a doença, têm pais e irmãos que já tiveram o mesmo problema.

Além disso, fatores como idade, se a pessoa fuma, fase da vida (quando a doença ocorre) e até a região do corpo também são pontos investigados pela medicina.

Quais os sintomas?

Os sintomas que costumam afetar a pessoa, normalmente, variam de acordo a região prejudicada pela doença. Alguns dos mais recorrentes incluem:

  • Dor nos mais variados níveis — é muito comum que ela seja sentida no lado inferior direito do abdômen. Mas pode afetar outras partes a depender da localização da inflamação.
  • Úlceras no intestino — quando as úlceras surgem elas tendem a sangrar. O paciente pode notar a presença de sangue nas fezes.
  • Úlceras na boca — um dos sintomas mais comuns da síndrome de Crohn.
  • Diarreia — pode se apresentar em níveis variados e, em alguns casos, pode haver pus, sangue e muco.

Outros sintomas possíveis dessa doença são: fissuras anais, sangramento retal, anemia, perda de peso (que pode ser uma consequência da falta de apetite), febre e fadiga.

Quais são os tratamentos disponíveis?

Uma vez que não há cura, os tratamentos para a doença de Crohn partem da necessidade de gerenciar da melhor forma possível os sintomas, promovendo o controle da inflamação e o aliviar dos incômodos, além de corrigir fatores nutricionais.

O objetivo é reduzir a quantidade de vezes que o paciente sofre com os episódios, ajudando-o a ter uma vida com mais qualidade.

Alguns dos medicamentos usados para lidar com a doença são os anti-inflamatórios, esteroides ou cortisona e antibióticos.

Entretanto, é bom lembrar que nenhum paciente recebe o mesmo tratamento que outro, já que cada caso é único e envolve uma série de aspectos como local e eficácia dos métodos usados.

Um fator importante sobre essa condição, é que há pacientes que podem passar anos sem sentir os sintomas. Porém, na maior parte dos registros, eles são recorrentes.

A variação do período de remissão pode variar e isso termina por prejudicar a eficácia do tratamento, uma vez que é impossível definir com exatidão por quanto tempo o paciente não terá sintomas.

A doença de Crohn é uma condição séria que pode afetar muito a rotina da pessoa. Porém, ao seguir as recomendações médicas e adotar um novo estilo de vida, de acordo com a necessidade provocada pela condição, é possível ter muito mais qualidade de vida!

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como cirurgião do aparelho digestivo em Ilha Solteira e Barretos!

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp