diarreia

Diarreia: quando devo procurar um especialista?

A diarreia é um problema relativamente comum. A maioria das pessoas já passou por essa condição. É caracterizada pelo aumento do trânsito intestinal e ocorrência de fezes líquidas. Considera-se a condição quando a pessoa evacua mais de três vezes em um período de 24 horas, eliminando fezes aquosas.

Não há apenas um tipo de diarreia. Além disso, essa condição clínica pode ser classificada conforme a duração. Existe a diarreia aguda, que é autolimitada e dura, no máximo, duas semanas. Costuma ser provocada por bactérias e vírus. Há também a diarreia persistente, que permanece de duas a quatro semanas. Por fim, existe a diarreia crônica, que é mais rara e grave, uma vez que excede quatro semanas. Esse tipo atinge de 3 a 5% da população mundial.

Estima-se que pessoas adultas saudáveis tenham, pelo menos, um episódio de diarreia aguda a cada 18 meses. Em boa parte dos casos, o sintoma não é preocupante. Ainda assim, é fundamental ficar atento à evolução do quadro, para identificar o momento de buscar ajuda, caso seja necessário.

Leia o texto a seguir e então conheça as circunstâncias que requerem uma consulta ao especialista para investigar e tratar a diarreia.

Quando a diarreia não passa ou é recorrente

Busque ajuda médica se o problema durar muito tempo ou for muito recorrente. A diarreia crônica pode ser consequência da ingestão de substâncias não absorvíveis, disfunções enzimáticas, crescimento bacteriano, má absorção de sais biliares.

Além disso, infecções não invasivas, tumores, problemas hepáticos e pancreáticos, inflamações, desordens de motilidade e síndrome do intestino irritável são condições de saúde que demandam análise especializada e aprofundada. Dessa forma, justifica-se a necessidade de consultar um especialista.

Quando vem acompanhada de outros sintomas

Nem sempre a diarreia acontece isolada. Redobre a atenção e busque ajuda se a ocorrência de fezes aquosas vier seguida de outras manifestações físicas como, por exemplo, sangue, pus ou muco na evacuação, febre, dor abdominal e vômito. Esses sinais podem incidir por condições variadas, como infecção, intoxicação, inflamação e alguns tipos de câncer. Por isso, é fundamental obter diagnóstico específico.

Quando afeta a rotina e qualidade de vida

Se a frequência evacuatória é tão grande, a ponto de atrapalhar a pessoa em suas atividades rotineiras, é preciso descobrir as causas. Assim, pode-se tratar o quadro adequadamente, para que a qualidade de vida não seja afetada. Se o problema não for tratada apropriadamente, pode resultar em desidratação e irritação da mucosa intestinal. O quadro tende a ser mais grave em crianças, idosos e indivíduos imunossuprimidos.

A fim de diminuir os riscos de complicações, o ideal é procurar auxílio médico se a diarreia não passar, se apresentar sinais suspeitos e se ela chegar  atrapalhar a vida do indivíduo.

Quer saber mais sobre diarreia? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como cirurgião do aparelho digestivo em Ilha Solteira e Barretos!

Comentários
Dr. Rodrigo Gui Queiroz

Posted by Dr. Rodrigo Gui Queiroz