Fat woman measuring her waist with a yellow measuring tape. Reduction of overweight and obesity treatment. Healthy lifestyle.

Você já ouviu falar da cirurgia metabólica?

Você sabia que portadores de diabetes tipo 2 podem tratar a doença com um procedimento chamado cirurgia metabólica?

Autorizada pelo Conselho Federal de Medicina por meio do Parecer n.º 38/2017, essa nova técnica cirúrgica relaciona-se com a cirurgia bariátrica, e por isso, pode gerar certa confusão entre as pessoas.

Neste artigo, trazemos informações sobre como a cirurgia metabólica é feita, seus benefícios e indicações. Acompanhe!

Como a cirurgia metabólica é feita?

A cirurgia metabólica pode ser definida como qualquer operação do tubo digestivo que tenha como objetivo controlar o diabetes com ou sem medicamentos, por meio de técnicas independentes da redução de peso.

O procedimento dessa cirurgia é igual ao da cirurgia bariátrica. A diferença entre dois métodos são seus objetivos.

Enquanto a metabólica visa controlar o diabetes, tratando síndromes metabólicas; a bariátrica tem como meta a perda de peso do paciente, e, automaticamente, evitando o surgimento de doenças como a hipertensão e o próprio diabetes. Ou seja, a diferença entre as técnicas está nos resultados esperados.

Mas como uma cirurgia que segue o mesmo processo da bariátrica pode ser benéfica para tratar o diabetes?

A resposta está na alteração gerada pela intervenção na liberação da grelina (também conhecida como “hormônio da fome”), hormônio produzido no estômago, que estimula o apetite e no GLP-1 (principal hormônio envolvido nessa mudança metabólica)

Quando um paciente se submete à cirurgia, os efeitos desse hormônio são reduzidos. Com isso, há o aumento de incretinas (GLP-1, entre outras), substâncias produzidas pelo pâncreas e intestinos, que estimulam a produção de insulina. Como resultado, os índices de glicemia são normalizados.

Os resultados da cirurgia metabólica são de longo prazo e, além de tratar o diabetes, diminuem o risco de o indivíduo sofrer complicações cardiovasculares.

Os benefícios da cirurgia

Entre os benefícios que a operação proporciona estão:

  • controle metabólico;
  • aprimoramento da sensibilidade à insulina;
  • perda de peso;
  • estabilização dos níveis de colesterol.

É importante salientar que a cirurgia não traz a cura da doença, mas  melhora o controle do metabolismo, a longo prazo. Nesse sentido, vale destacar que ela também não substitui a prática de atividades físicas e a reeducação alimentar.

Quem pode se submeter à operação?

Para realizar a cirurgia metabólica, o paciente deve:

  • ser portador de diabetes tipo 2 e IMC equivalente a 30 e 34 kg/m²;
  • conviver com a doença por no mínimo dez anos;
  • estar na faixa etária entre 30 a 70 anos;
  • resistir ao tratamento com antidiabéticos, sejam eles injetáveis ou orais.

Assim como a bariátrica e qualquer outra intervenção cirúrgica, a cirurgia metabólica não deve ser banalizada, afinal, ela pode apresentar certos riscos se o caso não for estudado pelo profissional, uma vez que cada organismo possui sua individualidade, necessidade e limitações.

Se, após o estudo do caso, o médico determinar a realização da cirurgia, é fundamental que o paciente tenha em mente que ele deverá adotar novos hábitos de vida (alimentação e prática de atividades físicas regulares) não só após a operação, mas antes dela. Mas, para isso, o acompanhamento médico será necessário.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como cirurgião do aparelho digestivo em Ilha Solteira e Barretos!

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp