Cirurgia Metabólica

Conheça os tipos de cirurgia metabólica

Conheça os tipos de cirurgia metabólica

O Brasil está se tornando cada vez mais um país obeso. Dados do Ministério da Saúde mostram que quase 20% da população do país possui excesso de gordura corporal. Atrelado ao acúmulo de peso, surgem vários tipos de doenças, como a hipertensão e a diabetes. Outra pesquisa realizada também pelo Ministério da Saúde, por meio da Vigitel, apontou que, em apenas dez anos, o número de brasileiros com diabetes cresceu 61,8%.

O problema é que o tratamento convencional para a diabetes muitas vezes não apresenta o resultado desejado. Quando isso acontece, uma alternativa é a cirurgia metabólica. Esse tipo de procedimento é indicado para pacientes que possuem diabetes mellitus tipo 2 e que têm índice de massa corporal entre 30 e 35 kg/m2.

Utiliza-se neste tipo de cirurgia a mesma técnica da bariátrica. Porém, a diferença entre elas é que a metabólica é focada no controle da diabetes, enquanto a bariátrica visa, primeiramente, a perda de peso e tem, como consequência, o controle de doenças.

Tipos de cirurgia metabólica

O Conselho Federal de Medicina (CFM) defende que o procedimento metabólico seja realizado por meio da técnica de bypass gástrico com reconstrução em Y-de-Roux (BGYR). Já a técnica de  gastrectomia vertical (GV) é indicada apenas quando há contraindicação absoluta da BGYR. Conheça um pouco mais sobre esses tipos de procedimento:

Bypass gástrico com reconstrução em Y-de-Roux (BGYR)

Conhecido também como gastroplastia em Y de Roux, é o procedimento dessa categoria mais realizado no país, totalizando 75%. A cirurgia consiste na diminuição da capacidade do estômago para 10%. Além da redução da quantidade de comida, essa técnica cirúrgica redireciona os alimentos no intestino, fazendo com que a grelina, hormônio responsável pela fome e saciedade, também seja diminuída e o GLP-1, principal hormônio responsável pelo controle das doenças metabólicas, seja aumentado.

Gastrectomia vertical (GV)

Essa técnica é irreversível, pois consiste na retirada de parte do estômago do paciente, que é reduzido de 30% a 15% de sua capacidade. Dentre os pontos positivos desse tipo de procedimento, está a manutenção do trajeto dos alimentos. Nesse tipo de cirurgia, a grelina também é reduzida. Entretanto, os efeitos da gastrectomia vertical  são menos eficazes que o da BGYR.

As demais técnicas e procedimentos não são reconhecidas pelo CFM para o tratamento de diabetes.

Para quem o procedimento metabólico é indicado

Não são todos os pacientes que estão aptos à se submeter à cirurgia com o objetivo metabólico. Por isso, ela é indicada para pessoas que:

  • possuem diabetes mellitus tipo 2 há menos de dez anos
  • tem entre 30 e 70 anos
  • possui o índice de massa corporal entre 30 kg/m² e 34,9 kg/m²
  • apresentam resistência ao tratamento clínico medicamentoso
  • fez acompanhamento com médico endocrinologista por, no mínimo dois anos
  • não possui contraindicações para a cirurgia

No Brasil, 72 mil pessoas morrem por ano devido à complicações da diabetes. Com a cirurgia metabólica, os resultados benéficos vão muito além e não estão relacionados apenas com a perda de peso. Apesar de ter sido regulamentada recentemente pelo Conselho Federal de Medicina, por meio do parecer nº. 38/2017, esse tipo de cirurgia apresenta, segundo estudos, resultados positivos de curto, médio e longo prazo.

 

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como cirurgião do aparelho digestivo em Ilha Solteira e Barretos!

Posted by Dr. Rodrigo Gui Queiroz in Cirurgia Metabólica, Todos