câncer de cólon

Câncer de cólon: sintomas, causas e tratamentos

O câncer de cólon se desenvolve na parte inferior do sistema digestivo, no cólon (intestino grosso) e no reto (última porção do intestino grosso). É tratável e curável na maioria dos casos se detectado precocemente.

Este é um dos tipos de câncer mais incidentes no mundo, afetando principalmente homens e mulheres com idade superior a 50 anos.

Este ano, o Instituto Nacional do Câncer (INCA) estima 36.360 novos casos, sendo 17.380 em homens e 18.980 em mulheres. Além disso, o câncer colorretal é responsável por mais de 15 mil vítimas anualmente no Brasil.

Principais causas

As causas do câncer colorretal ainda não são totalmente esclarecidas. Alguns fatores apontados são a interação de fatores genéticos, ambientais e dietéticos.

Grande parte desses tumores se inicia a partir de pólipos, lesões benignas que podem crescer na parede interna do intestino grosso. Esse tipo de pólipo, chamado de adenomatoso, pode então se transformar em câncer. Cerca de 5% dos pólipos adenomatosos transformam-se em adenocarcinoma após cerca de 10 anos de existência.

Alguns grupos de risco para a doença são pessoas com dietas pobres em fibras e ricas em gorduras e carne vermelha; obesos e sedentários; pacientes com alto consumo de álcool; e fumantes, inclusive fumantes passivos.

Sintomas mais comuns

Um dos grandes problemas do câncer colorretal é que ele não apresenta um sintoma específico nas primeiras etapas. Qualquer pequeno sinal pode ser confundido com outro tipo de doença mais comum do sistema digestivo.

Quando os sintomas aparecem, eles podem variar, dependendo do tamanho e localização do câncer no intestino grosso.

Os sintomas mais comuns são mudança nos hábitos intestinais, incluindo diarreia ou constipação; sangramento retal ou sangue nas fezes; desconforto abdominal persistente, como cólicas, gases ou dor; e sensação dolorida na região anal, com esforço ineficaz para evacuar.

O diagnóstico normalmente é feito por colonoscopia e biópsia.

Prevenção do câncer de cólon

Existem diferentes formas de prevenção desta doença e para isso é preciso saber o quanto se está exposto a desenvolvê-la. Uma das formas de prevenção deste câncer é considerar os antecedentes genéticos.

Pessoas com mais de 50 anos têm maior risco de desenvolver este tipo de câncer. Por esta razão, deve-se fazer checagens médicas com mais frequência que uma pessoa com menos idade.

Algumas dicas de prevenção são controle do peso, mudanças de hábitos alimentares, consumo moderado de álcool e redução do tabagismo.

Tratamento

O que vai determinar o tratamento é o estágio do tumor e se já apresenta o diagnóstico com metástase ou não. Outro fator determinante para o tratamento do câncer é o estado de saúde do paciente e a época da vida.

Tratamentos comuns incluem cirurgia para remover o câncer, quimioterapia e radioterapia.

Tumores menores e que estão restritos ao intestino são apenas operados. Já tumores que comprometem grande parte do  intestino ou mesmo avançam para órgãos ou gânglios próximos são combinados com sessões de quimioterapia por entre três e seis meses.

Além disso, tumores próximos do reto podem ser tratados também com radioterapia aliada à cirurgia para retirada do câncer de cólon.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como cirurgião do aparelho digestivo em Ilha Solteira e Barretos!

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp