baço

Baço: função, distúrbios e cuidados

Localizado na parte superior esquerda do abdômen, o baço tende a ser uma incógnita para o público em geral. Órgão pouco lembrado fora do âmbito medicinal, quase ninguém sabe qual papel ele exerce no organismo humano. De cor arroxeada e composto por duas camadas, denominadas polpas, ele tem função imune e faz parte do sistema linfático. Suas dimensões são modestas — menor do que um punho — e sua utilidade começa durante a gestação. Para o feto, será o órgão encarregado de produzir hemácias e leucócitos.

O papel desempenhado pelo baço muda após o nascimento de um bebê. Com 12 cm de comprimento por 7 cm de altura e 4 cm de espessura, seu peso médio é de 150g. Sob algumas condições, como a esplenomegalia, pode haver aumento no seu volume.

O tecido, de polpa branca, é constituído por bainhas linfáticas peri arteriais e centros germinais, sendo o lado imune do órgão. Já a polpa vermelha serve como reservatório sanguíneo, com plaquetas e leucócitos sendo predominantes nesta estrutura. É também a parte responsável por remover bactérias e glóbulos vermelhos instáveis ou defeituosos.

É claro que as funções do baço são ainda mais extensas e é isso que veremos neste post. Confira!

Qual é a função do baço?

Como parte do sistema linfático, o órgão está envolvido na produção dos linfócitos, também conhecidos como glóbulos brancos. Como sabemos, ele é responsável pelos anticorpos que combatem invasores nocivos e serve como reservatório para os monócitos, células importantes para o sistema imunológico. Ainda, possui função de apoio no combate de vírus, bactérias e outros micro-organismos encontrados na polpa branca.

Diante de traumas corporais e infecções, o órgão pode lançar monócitos na corrente sanguínea para reprimir os efeitos adversos. Quanto à polpa vermelha, sua função está ligada à filtragem do sangue. Neste processo é feita a conservação do ferro que será transportado para a medula óssea.

Outra função análoga é a de armazenamento sanguíneo. Em casos de trauma em que há perda de sangue, o reservatório fornecerá parte do que o corpo necessita para resistir ao trauma.

Como todo órgão do corpo humano, o baço também está suscetível às doenças, uma vez que pode haver aumento no seu volume, causando dores e alterações nos exames sanguíneos. Câncer e problemas no sangue podem demandar que uma intervenção cirúrgica seja feita.

Distúrbios: quando pode haver necessidade de intervenção cirúrgica?

Normalmente, os problemas no baço estão relacionados ao seu aumento. O que tende a prejudicar ou, até mesmo, interromper as suas funções. Outra situação que pode exigir uma intervenção emergencial é a ruptura, por exemplo, por resultado de um grande trauma, muito embora isso se configure como uma situação incomum, visto que cada vez mais tenta-se preservar o baço nesses traumas.

A esplenomegalia é a disfunção que causa o aumento das atividades do órgão, afetando o seu tamanho. Costuma ser efeito colateral de outros problemas, como anemia perniciosa e hemolítica. Ainda, surtem efeito negativo, lúpus eritematoso sistêmico, leucemia, malária e câncer de linfoma. Condições hepáticas, como a cirrose, por afetarem o sangue, podem, da mesma forma, repercutir negativamente no baço.

Sob estas condições, pode ser necessária a esplenectomia, procedimento que retira total ou parcialmente o baço. A despeito do papel que ocupa no organismo, sua presença não é vital, significando que os pacientes podem sobreviver à sua remoção. O fígado e outros órgãos do corpo tendem a compensar a ausência assumindo as suas funções. Agora, caso seja retirada apenas uma parte do órgão, ele possui a capacidade de se regenerar.

O que ocorre após uma cirurgia?

É importante acrescentar que se houver remoção total ou parcial do baço, diminui a imunidade do corpo e ele fica especialmente propenso às infecções e septicemias. Consequentemente, vacinas contra pneumococos, meningococos e  influenza devem ser observadas. Nos primeiros casos, a cada 5 anos. Além da necessidade de tomar antibióticos ou penicilina benzatina  na presença de qualquer infecção, mesmo suspeita e o mais precoce possível. Deverá haver cuidado redobrado com a alimentação. Excesso de açúcar e gorduras, por exemplo, devem ser evitados.

Cabe ainda a prática regular de exercícios físicos e o cuidado para não se expor às mudanças bruscas de temperatura. Pronto, agora você conhece as funções, distúrbios e cuidados que devem ser observados em relação ao baço.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como cirurgião do aparelho digestivo em Ilha Solteira e Barretos!

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp