anestesia

Como é a anestesia na cirurgia bariátrica?

A cirurgia bariátrica é um procedimento cirúrgico de redução de estômago, que visa a diminuição do peso do paciente. Ela é utilizada em casos de obesidade associada a complicações na saúde, em doenças como diabetes e hipertensão. Segundo a Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica (SBCBM), nos últimos anos, o número desse tipo de procedimento aumentou 46,7% no Brasil, considerado o segundo maior no mundo em cirurgias bariátricas. Apesar de ter se tornado bastante popular, a bariátrica é uma cirurgia delicada e, para esse tipo de procedimento, a anestesia requer um cuidado especial.

Procedimento anestésico na cirurgia bariátrica

Além de todo o processo comum de pré-operatório, quando uma pessoa vai fazer uma cirurgia bariátrica, deve passar pela consulta pré-anestésica. Realizada dias antes da cirurgia, essa consulta com o anestesista tem o objetivo de fazer com que o médico conheça um pouco melhor o passado do paciente, como histórico de outras cirurgias, histórico de saúde, patologias associadas e alergias. Além disso, é uma oportunidade que o paciente tem de esclarecer dúvidas sobre o processo anestésico.

O processo anestésico se divide em partes, em todas elas é necessário o acompanhamento de profissionais especializados.

Indução anestésica

É a primeira etapa em que o paciente, já no centro cirúrgico, recebe os medicamentos para o início da cirurgia. Por via venosa, o anestesista irá medicar o paciente que já estará sendo monitorado. Além disso, utiliza-se, também o oxigênio sob máscara enquanto o paciente começa a dormir. O passo seguinte é a entubação oro-traqueal, onde um tubo é introduzido na traqueia do paciente para interligação com o aparelho anestésico. O tubo tem o objetivo não só de auxiliar na respiração do paciente, como também de conduzir gases anestésicos na cirurgia.

Na cirurgia bariátrica utiliza-se a anestesia geral, que leva à perda da sensibilidade e dos reflexos do corpo, assim como da consciência, fazendo com que o paciente não sinta dor e mantenha-se sedado durante o procedimento.

Trans-operatório

O paciente que está sendo operado recebe, de maneira ininterrupta, o gás anestésico pela intubação e/ou medicações endovenosas. Por meio de um computador, o anestesista faz o monitoramento da quantidade de medicamentos e/ou gases que são fornecidos para o paciente. Além disso, ele faz o controle dos batimentos cardíacos, dos níveis de oxigênio, da pressão arterial e dos reflexos neurossensoriais, para que a anestesia siga conforme o planejado. A manutenção do soro também é essencial nessa fase, pois garante não só o controle da pressão arterial como o funcionamento dos rins.

Recuperação

Na última fase do processo anestésico, o médico anestesista interrompe o fornecimento dos gases e medicamentos para dar início à recuperação. Em casos de cirurgia bariátrica, em que os pacientes são obesos, a recuperação pode ser mais demorada. Isso acontece porque o medicamento anestésico tende a ficar armazenado no tecido adiposo. A recuperação do paciente é feita na sala de recuperação do centro cirúrgico ou na unidade de terapia intensiva (UTI) e é acompanhada de perto tanto pelo médico-cirurgião quanto pelo anestesista.

É importante lembrar que toda anestesia oferece riscos. Quando se trata de uma cirurgia em que o paciente é obeso e pode possuir patologias associadas como problemas cardiovasculares e diabetes, o risco torna-se ainda maior. Porém, não há o que temer, já que o paciente estará cercado por profissionais qualificados e experientes.

 

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como cirurgião do aparelho digestivo em Ilha Solteira e Barretos!

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp